Comunicação autêntica X comunicação ineficiente. Qual é a sua?


O homem existe porque ele se comunica. Em todas as relações sociais, profissionais e afetivas pode ocorrer alguma dificuldade em estabelecermos conexão com as pessoas. Isso pode ser explicado pela diferença existente entre os nossos universos pessoais, nas nossas histórias que nos moldam e nos tornam quem somos, muitas vezes bastante diferentes de quem julgamos serem os outros. É por isso que sou a favor da criatividade para edificar conexões subjetivas entre nós. Sou a favor das pontes, das travessias construídas de diversas formas com diversos materiais que nos possibilitem atravessar campos acidentados, ermos ou perigosos na busca por paragens mais bonitas e tranquilas nos corações e nas mentes das pessoas.


Na comunicação interpessoal, por mais que queiramos ou que presunçosamente pensemos que o outro tenha que “chegar por si”, há momentos em que se não abrirmos a porta, não dirigirmos o olhar acolhedor ou não dermos a vez, torna-se totalmente impossível que o outro avance. Além disso, nos verdadeiros encontros, as distâncias físicas se tornam mero detalhe quando conseguimos nos colocar empaticamente no lugar do outro e percebemos que não é possível a ele caminhar quando suas pernas estão acorrentadas pelo medo, ou falar quando sua boca está amordaçada pela culpa. É nessas horas que o primeiro passo deve ser dado com nossas pernas e com o nosso coração.


Há outro ponto importante no encontro entre pessoas, o cuidade com a comunicação autêntica. Segundo John Gottman, professor emérito de psicologia e pesquisador sobre estabilidade conjugal e análise de relacionamento, constatou que para que uma comunicação seja eficiente é preciso ter cuidado com quatro tipos de interações negativas que ele apelidou como "Os quatro cavaleiros do apocalípse".


1 - É preciso evitar a crítica negativa contra o outro adotanto uma fala gentil e educada. O orgulho, a prepotência e a intolerância ilham as pessoas.


2 - A postura de defensiva é outra faceta a ser evitada para que cada um assuma a responsabilidade sobre o que lhe cabe em termos de atos, posturas e palavras para que a culpa não se torne a moeda de "troca".


3 - O desprezo vem em terceiro como algo a ser evitado para que as pessoas sejam validadas em seus pensamentos e sentimentos mesmo que não concordemos com o que falam, afinal ninguém tem a obrigação de "obedecer aos nossos caprichos, resistências ou inflexibilidades".


4 - E por último vem a obstrução, a nossa indiferença ao que o outro diz que invalida o seu pensamento e sentimento, que o faz se ressentir e se afastar. Assim, tomando esses cuidados, nos tornamos capazes de promover uma comunicação produtiva, um bom estreitamento dos laços e a criação de parcerias. E se durante o uso da palavra também for útil usar as tintas para despertar a vivacidade de alguém, serão elas a minha ferramenta. Se for a música o método que lhe permita fluir de dentro de suas masmorras mentais, será a música que trarei para perto. Pois para tudo, há uma ponte a transpor. Todos os voos, por mais simples ou espetaculares que sejam, começam no chão do lado de lá de alguma ponte.


Imagem: http://www.fotosbonitas.com.br (Editada)


Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square